Tuesday, July 31, 2012

Solidão



Estar só é muito mais que uma condição fisica.

É uma questão de espirito, de ausência de si mesmo, de silêncio forçado.
Uma sensação de vazio ante as ações rotineiras, uma desesperança continua e crescente.

Estar só é estar invisivel no meio da multidão,
É não ter coragem de expressar a tristeza e a revolta, por receio de que ninguém vá se importar com elas.

Estar só, é ver a vida passar diante dos olhos, como uma locomotiva sem freio e sem parada.
É um precipicio sem fim, queda livre sem chegada.

Saturday, May 01, 2010

Simple the Best


"Quando você não está feliz, é preciso ser forte para mudar, resistir à tentação do retorno. O fraco não vai à lugar algum."
 (Ayrton Senna, 1960-1994)

01 de maio de 2010. 16 anos de saudade...



Saturday, April 17, 2010

O vinho e outros prazeres

Vi esta frase em um site hoje, enquanto saboreava um vinho nacional, suave, branco e gelado.

Nesta tarde de sábado ensolarado, com a temperatura acima dos 28 graus, pareceu-me uma bebida perfeita. Talvez os enólogos e apreciadores de vinho mais tradicionais de plantão estejam me reprovando veementemente por tais escolhas. Afinal estou transgredindo totalmente às normas e à etiqueta.

E um único pensamento me vem à cabeça. "E dai ?? Que mal existe em fugir da etiqueta ou do padrão se o prazer vale a pena ?"

Acabo de saborear a primeira taça, e já antecipo em pensamento, o prazer de sorver os goles da próxima que eu mesma me servirei daqui alguns minutos. Não está passando nenhum show cultural na TV, não há nenhum queijo fino de acompanhamento, e sono da sola (sozinha), e tampouco está tocando uma música suave no apartamento vizinho. Definitivamente não será nenhuma cena romântica ou cult de algum filme.

Simplesmente uma taça de vinho, apreciada sem pretensões, apenas pelo prazer e satisfação de um desejo fora do horário e da pauta.

O vinho e todos os outros prazeres do mundo. Sem regras e sem culpas.

Isto também pode ser definido por Felicidade. Tim-Tim !!

Saturday, March 27, 2010

Sexta-feira, 18 horas, e penso...ufa.. tá quase acabando a semana... até que enfim.
Mas quinze minutos depois, uma situação para fechar com chave de ouro essa semana interminável !
Sabe aquele dia em que mais nada podia dar errado ? E dá ?? Leia mais

Sunday, February 28, 2010

A morte

Acho que sempre encarei a morte como um ato natural e triste deste processo ‘viver’. Talvez porque eu tenha sido obrigada a entender, desde muito pequena, que a ausência de quem morreu é inesperada – na maioria das vezes – porém definitiva.


Entretanto não me tome por insensível, ao contrário, mas as mortes que mais me abalaram não foram as de pessoas familiares, acredito que inconscientemente, eu tinha um pensamento ou sentimento de que, se eu havia aprendido a conviver com a ausência de meu pai desde os meus 5 anos, se eu podia viver sem ele, poderia viver sem qualquer pessoa, por mais próxima que fosse. (Leia mais...)

Thursday, December 31, 2009

Orgulho e Emoção

Foi o que senti quando vi o depoimento da Rê.

Ela que é um exemplo, uma inspiração...

Obrigada Rê !!
Por compartilhar conosco a sua história, que no fundo, também é a nossa historia.

To mega orgulhosa de vc !!!


Saturday, September 12, 2009

Dias Tristes


Há dias em que choramos sem motivos, que uma angustia nos assalta, e em que sentimos saudades de tudo e de todos.

Saudade de quem já se foi...

Saudade de quem está longe...

Saudade do que já vivemos...

Saudade daquilo que nunca viveremos...

Saudade dos amigos, dos amores, de pessoas queridas...

Saudades de quem nem conhecemos ainda...

Saudade dos nossos próprios risos, de momentos felizes... e do som do riso e da voz de pessoas que amamos...

Saudade de planos antigos, de segredos bobos, de sonhos desfeitos...


Saudade do meu pai...

Saudade de mim...


Eu não sei porque, mas as lágrimas vem mesmo sem pedir licença, sem nada explicar , e traz consigo aquela angustia, o gosto ruim entalado na garganta, uma dor não definida.


Dias de tristeza... não há como evitá-los.


Mas haverá sempre um amigo, que mesmo sem saber, mesmo de longe, vai enxugar algumas lágrimas e aliviar um pouco esta angústia. São coisas assim, inexplicáveis "coincidências" que me fazem acreditar que nunca estamos realmente sós.


(Érika, muito obrigada...)